segunda-feira, 26 de junho de 2017

Amor e Amizade de Whit Stillman

Roseane Mendes

O livro Amor e Amizade de Whit Stillman é baseado na obra epistolar (escrita em forma de cartas) de Jane Austen, Lady Susan. Whit Stillman é um roteirista e diretor estado unidense. Em Amor e Amizade, Stillman reescreve o romance de Austen no estilo narrativo e a partir do ponto de vista de sobrinho da personagem principal. Lady Susan é uma protagonista atípica, já que ela é uma anti-heroína. Ela é uma viúva jovem e bonita, porém; manipuladora, egoísta e ardilosa.

Na edição que comprei, que é da editora Gutenberg, há o romance de Stillman e também a obra original de Austen. Esse livro já foi adaptado para filme, cujo o nome é o mesmo. De forma deliciosamente irônica, Amor e Amizade conta a história de Lady Susan a partir do ponto de vista do seu sobrinho. Este tentará reverter a má fama de sua tia e seu tio, porém sem conseguir êxito. Isso é o mais divertido no livro,  porque Lady Susan é tão deliberadamente manipuladora que nem a personagem que a ama consegui rever tal impressão. 

O livro começa com um apresentação dos personagens centrais e a descrição deles já nos dá uma ideia da forma irônica e hilária que é esta obra. Por se tratar de uma obra escrita por um diretor e roteirista o leitor tem de forma detalhada como é cada personagem e os locais onde se passa a história. Há uma página só com a descrição desses locais. Tais descrições vêm seguida de uma página com a árvore genealógica dessas personagens. 

Os títulos de cada capítulo são super interessantes por dá uma prévia clara dos fatos que passam na história, mas ao mesmo tempo é aberto a dupla interpretação. 

O prefácio é uma tentativa de ofuscar a personagem Frederica, isso é intencionalmente feito pelo narrador para que essa seja desqualificada em comparação a mãe, Lady Susan. O narrador fala de uma escritora a quem ela chama de Autora Solteirona. Ele a descreve da seguinte forma: "uma escritora negligente com a pontuação e com a verdade, zelosa apenas no comportamento das diretrizes de seus patronos aristocratas". Para quem conhece um pouquinho sobre Jane Austen, sabe que ela nunca e se casou e por diversas vezes seus críticos a acusou de ser negligente com a pontuação. Já o fato do narrador dizer que ela também negligente com a verdade é uma tentativa de salvar a reputação da personagem Lady Susan. 

O primeiro capítulo do livro é: "O 9º mandamento". Isso porque o 9º mandamento é: "Não levantarás falso testemunho contra o teu próximo". Mais uma vez, o narrador tentando limpar a reputação de sua tia. O próximo capítulo se chama "Uma narrativa honesta de falso testemunho". 

Lady Susan é viúva de Frederic Vernon, e mãe de Frederica Susanna Vernon. Falida, Lady Susan precisa viver de favor na casa de seus conhecidos afortunados. No capítulo "Castelo Churchill, Outono de 1974", mostra o impacto da chegada de Lady Susan a Churlchill. Charles Vernon, o seu cunhado, recebe tal notícia de bom grado; enquanto sua esposa Catherine DeCourcys demostra insatisfação. Tal má vontade tem origem no fato de que Lady Susan foi contra o casamento dela com Chales, e ao que parece fez algumas intrigas para esse casamento não acontecesse. 

No capítulo "Uma breve nota, uma interrupção" ficamos sabendo um pouco mais sobre o narrador. Já em "Um agradável refúgio campestre, apesar de enfadonho", temos a chegada de Lady Susan e sua amiga Fanny Cross, também viúva,  a Churchill. Quando elas chegaram a Churrchill, Fanny é inicialmente instalada em dos quartos dos empregados, mas logo é posta como hóspede quando o Churchill entende que ela é uma amiga de Susan. Porém, a forma como ela é tratada por Susan é mais parecida com  o tratamento atribuído a uma serviçal que a uma amiga. No entanto, o narrador trata de sempre justificar os atos politicamente incorretos de sua tia.

Em "Uma nódoa escarlate no salão dourado", aparece o comportamento provocador de Susan para com Catherine. É neste capítulo que aparece uma das cartas de Catherine, que é a carta presente no romance epistolar de Jane Austen. Nesta carta, Catherine descreve Susan como sedutora, inteligente, astuta e ainda bonita apesar de ter mais que 25 anos. Devemos nos lembrar que no século XIX, as mulheres com mais de vinte anos não eram mais consideradas bonitas. 

No capítulo "Um encantado Sr. Reginaldo Decourcy", nos é apresentado o irmão mais novo de Catherine e futuro flerte de Lady Susan, que é conhecida como rainha do Flerte. Apesar de no início Reginald demonstrar bastante má vontade e preconceito para com Susan, não demora muito para essa situação mude. Afinal, Lady Susan sabe muito bem como manipular, principalmente aos homens. Ela é tão ardilosa que consegue reverter toda e qualquer situação a seu favor. 

Em "Dezembro: Parklands", a família Decourcy é menosprezada pelo narrador. Porém, vemos o quanto Lady Susan é astuta e já colocou Reginald a seu favor e continua com suas formas sutis e sorrateiras de ser rude. Susan por diversas vezes é rude e venenosa, porém sempre de maneira sedutora. 

Em todo o livro somos levamos ao universo astuto de Lady Susan, mas antes de odiá-la somos seduzidos por ela. Esse é um livro o qual a palavra é mais importante que qualquer acontecimento. Se procura aventura ou emoções a flor da pele, essa não é a obra. Mas, se procura engenho, ironia e perspicácia; Amor e amizade vai te oferecer. Com uma crítica aparentemente sútil, mas na verdade voraz, a sociedade aristocrata inglesa essa obra respeita a  originalidade de quem a inspirou e nos oferece um pouco mais de Jane Austen.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale conosco