quarta-feira, 22 de março de 2017

Nas telonas: Vamos falar de Cinquenta tons mais escuros.

Roseane Mendes


Cinquenta tons mais escuros foi bastante esperado por muitas de nós. Mas, antes de deixar aqui minha humilde opinião vamos fazer alguns combinados. O primeiro deles é que vamos estabelecer um pacto ficcional. O que é isso? Vamos estabelecer que dentro da obra fictícia que é o filme em questão, aqueles fatos são verossímeis. Partindo dessa ideia, o nosso segundo combinado é que eu não vou entrar no mérito se a relação Grey e Steel é saudável. Ficção é ficção, e dentro de la tudo é possível e finais felizes existem. Quem me acompanha por aqui sabe que sou telespectadoras de novelas mexicanas e comédias românticas. Portanto, clichês românticos são comigo mesma.


Cinquenta tons: seja de cinza, mais escuros, de liberdade ou pelos olhos de Christian; nada mais é que uma compilação de clichês românticos com cenas de sexo. E eu super consumo clichês românticos. Ainda assim, achei que Cinquenta tons mais escuros ficou muito aquém das minhas (já baixas) expectativas. Achei o ritmo do enredo fragmentado demais e algumas cenas, as quais eu achava que deveria ser melhor concluídas não foram. Alguns problemas de frequência gritaram diante dos meus olhos. Por exemplo, a cena em que Anastácia está se vestindo para o baile de máscara e está vestida um lingerie que acreditamos (e assim nos fazem acreditar) ser a que ela usará no baile. Porém, em cenas futuras do baile vemos que ela não está com a tal lingerie; está com outra. Isso sim fere o pacto ficcional.

O desfecho das aparições da ex submissa do Grey, Leila, que persegue Anastasia também achei que ficou devendo muitas explicações. Eu li os livros, mas tenho certeza que quem não leu ficou  sem entender aquele "poder" do Grey sobre ela. Ficou parecendo que Christian Grey é na verdade "Jean Grey" do X-man. 

Apesar desses deslizes, há cenas que eu achei bem construídas. Por exemplo, o assédio do chefe da Anastásia, Jack Hyder, foi realmente de dar nojinho. Em linhas gerais, achei o filme bem mais ou menos; até em relação as cenas de sexo. Como o enredo me pareceu muito fraco (falo exclusivamente do filme, o livro acho OK), "Cinquenta tons mais escuro" se resumiu a um pornô sem sexo para mim. Ou seja, algumas cenas de sexo e um enredo bem pobre devido as falhas de coonstrução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale conosco