quarta-feira, 30 de março de 2016

Sofá e pipoca: O passado


Hola, chicos y chicas!!! O sofá e pipoca está de volta. E trás um filme para lá de bem construído, O Passado. 
Este é um filme que mostra histórias de amores mal resolvidos e pouco convencionais. Gael Garcia Bernal é Rimini, um jovem tradutor que termina um casamento de 12 anos com Sofia, sua primeira namorada. Logo no início Sofia já dá indícios de que a aparente separação amigável, não é algo bem resolvido para ela. Alguns podem até achar que a separação é conduzida com muita delicadeza por ambos, porém um telespectador mais atento perceberá que para Sofia essa separação nunca foi algo definitivo. Isso ficará mais claro quando Rimini começa a namorar Vera, uma jovem modelo de 22 anos. Vera também não é uma personagem que vive suas relações amorosa com sobriedade, ela possui um ciúme exagerado e está sempre tirando conclusões precipitadas. Um dia Vera ver Sofia beijando Rimini a força, mas não entende o que ver sai correndo onde é atropelada por um ônibus e morre (calma eu não contei o final do filme, porque isso é só o comecinho).
Um ano depois Rimini, já refeito, se casa com sua parceira de tradução - Carmem. Porém, ele desenvolve uma estranha amnésia depois da morte de Vera, a qual apaga do seu cérebro os idiomas que traduz (inglês e francês). Ele, então, passa a desempenhar o papel de marido dependente o que lhe causa um desconforto. Mas com a chegada do filho, Lucio, ele se reanima. É ele quem passa a desempenhar o papel de "dono do lar", sendo praticamente o único responsável pelos cuidados com o bebê.
No entanto, essa pequena estabilidade acaba com o reaparecimento de Sofia em sua vida, num momento de loucura ela sequestra o pequeno Lucio e atrai Rimini para um hotel de encontros. Isso causará a separação de Rimini e ele nunca mais poderá ver o filho (Estão pensando que agora eu contei o final? Contei não!).
O enredo mostra o lado um tanto sombrio e destrutivo de relações amorosas mal resolvidas.
Este filme conta com a participação do já falecido ator brasileiro Paulo Autran. É dirigido por Hector Babenco diretor de "Carandiru" e "Pixote". 
Vale muito a pena assistir.

2 comentários:

Fale conosco