terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Ter estilo é saber se impor

Roseane Mendes


               As vezes penso que falar de estilo é algo extremamente difícil. Principalmente porque vai muito além da maneira de se vestir, mas ao mesmo tempo se expressa de maneira muito clara nela. Ter estilo é ter autoconhecimento, mas também é saber se impor. Atualmente, se impor tem sido um grande desafio. Sempre encontramos "entendidos" para apontar as nossas falhas, e façamos o que façamos nunca somos bons o suficiente. 
              Na busca de sermos aceitos, acabamos por não respeitar a nós mesmos; então procuramos nos vestir de maneira que não sejamos apontados. Neste momento deixamos transparecer a nossa insegurança. Quando nos vestimos para outro, ficamos pouco confortável. Parece que é o nosso corpo que está errado, que o nosso comportamento não é adequado. Acredito eu, que até nossa linguagem verbal também fica comprometida.

              Vestir camisa de seda e saia evasê em um ambiente em que prevalece a calça jeans e a camiseta, ou vice-versa, pode ser um ato de rebeldia. Por que? Porque apesar de sentirmos confortáveis, terá alguém para nos dar algum rótulo que nos fará sentir mal e desconfortável. Mas, quando forçosamente tentamos seguir o fluxo; esse desconforto é ainda maior. Isso porque estamos indo na contra mão de quem somos. Estar estilosa depende muito de como nós usamos nosso jeans e camiseta ou nossa camisa de seda e saia evasê. Estilo exige personalidade e segurança. 
             Antes de sentir rancor ou qualquer outro sentimento negativo em relação a aquelas pessoas que nos apontam, devemos agradecê-las. Respeitar o nosso estilo exige de nós caráter suficiente para nos impor. Uma pessoa bonita pode até atrair os olhares, mas uma pessoa confiante atrai muito mais que olhares. E aí as consequências são muitas, mas abrace somente as coisas positivas e seja confiante o suficiente para ignorar os "haters" de plantão. 
            Ter estilo é projetar em uma linguagem não verbal autoconfiança, é deixar claro para as pessoas que nos amamos, nos respeitamos e nos vestimos para nós mesmo e para mais ninguém. Somos nós nossos admiradores e não devemos buscar essa admiração em outras pessoas, mas quando essa vier sejamos gratos. Se observarmos com atenção, são muitas as pessoas famosas por seus estilos que nunca corresponderam a um padrão estético ou seguiram a moda de suas épocas. Frida kahlo, por exemplo, com suas icônicas sobrancelhas juntas viveu de maneira intensa e visceral sua arte e seus amores. Sofreu de poliomelite na infância que a deixou com uma lesão no pé direito e mais tarde aos 18 sofreu um grave acidente que a obrigou usar constantemente um colete ortopédico. Ela tinha todas as razões para se esconder, mas virou um ícone na arte e também de estilo.
            Devemos não ter medo de ser quem somos e de nos expressar em nossas roupas e acessórios. Temos muitas razões para seguir o fluxo da moda e nos tornar mais um na multidão, porque assim não somos apontados e arrisco dizer que melhor tolerados. Mas, temos uma única razão que é mais forte que todas as outras juntas: o amor próprio. Consequentemente podemos nos destacar e até incomodar, mas também causar admiração e respeito. Ter estilo é nos mostrar para o mundo e principalmente nos impor nele, é mostrar naqueles segundos visuais que estamos de bem conosco. É mostrar para o mundo que nos cuidamos e que nossa alma está muito confortável com nosso corpo, obrigada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale conosco