quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

O que eu quero para 2014? Sorrir, sorrir muito!

Tatiana Almeida

Ano novo! E, embora vemos por todo lado frases como "ano novo, vida nova", a sensação que tenho é que, na verdade, nada mudou. Vejo pessoas fazendo listinhas de objetivos para o novo ano, contendo coisas que a pessoa já poderia ter começado a fazer nos anos anteriores. O engraçado é que quando você pega a lista do ano passado, acaba descobrindo que não cumpriu metade do prometido. Por que isso acontece? Acho que são muitos os fatores envolvidos, entre eles a ansiedade de resolver tudo no primeiro semestre - ou no primeiro mês - e a falta de objetividade. E quando menos se espera, já está de volta aos velhos hábitos. 

Durante o ano de 2013, fiz uma séria reflexão sobre as minhas características que eu gostava e que não gostava. Fiz escolhas, decidi melhorar as piores e manter (e até mesmo aprimorar) o que era bom. Assim, eu descobri o quero para 2014, 2015, 2083 (olha os 100 anos)...

Sem parecer pretensiosa, descobri que tenho coisas boas para oferecer aos outros e uma delas é o sorriso. Uma vez, um aluno meu da época da Educação de Jovens e Adultos me disse a seguinte frase: "Professora, eu queria ser como você. Você vive sorrindo! Parece que nem tem problemas!" Eu respondi que tinha problemas como todo mundo, mas que eu preferia sorrir a descontar minhas mazelas nas pessoas, principalmente, as que não tinha nada a ver com elas. Desde aquela época eu já tinha feito a escolha de sorrir apesar do que estivesse acontecendo comigo. 

E um sorriso pode abrir portas. Imaginem a situação: você numa lanchonete por volta das 17h depois de um dia daqueles no trabalho e vê a atendente com uma cara de poucos amigos. Então, você, com sua cara de estressada, pede um café, sem olhar direito para a cara da moça e tenta pagar com uma nota de 50 reais. Ela, provavelmente, vai virar para você e dizer que não tem troco. Ficarão naquele dilema por alguns segundos, enquanto ela, bufando e te mandando para a PQP baixinho, vai arranjar um jeito de trocar o dinheiro. Ou seja, situação desagradável. Agora imagine a mesma situação com você a cumprimentando com um belo sorriso antes de pedir seu café? Por mais que ela não tenha troco para sua nota de 50, o tom da resposta será mais agradável e ela tenta trocar com mais boa vontade sem te xingar baixinho. E, pode até ser que você ainda ganhe o café só pela simpatia. Impossível? Não. Pode parecer balela, mas já aconteceu comigo. Já ganhei coisas em lugares só por ter sido simpática. 

Uma outra vez, esta na fila para entrar num show dos Hanson e percebi que a segurança que estava na porta pegando os ingressos estava muito tensa, sem a menor paciência. Deixei o ingresso e o documento na mão para facilitar a identificação. Além disso, assim que cheguei perto dela, disse sorrindo: "Olá, tudo bem?". Palavrinhas mágicas! A expressão dela mudou na hora. Ela me sorriu de volta, contou o stress que algumas fãs já tinham causado, me desejou bom show e me deu tchauzinho na saída. É sempre que isso acontece? Não. Às vezes, esbarro num coração gelado ou alguém com dia ruim, mas, na maioria das vezes, o resultado é positivo. 

Não pensem que sorrio por interesse. Sorrio porque gosto, porque me faz bem e acho que faz bem para os outros quando você sorri para eles. Deixa o ambiente mais alegre! Já fui até chamada de boba, mas nem ligo. Posso ser boba, mas sou feliz. Então, em 2014 quero sorrir muito! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale conosco