quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Discriminação capilar também é preconceito

Olá, olá! Quarta-feira na área e, confesso, que eu tinha preparado outro post pra vocês, mas diante de alguns acontecimentos recentes, eu me vi meio que obrigada a colocá-lo na gaveta. Acho que todos viram a história do garotinho cuja mãe foi chamada na escola para que cortasse o seu cabelo porque a franja estava atrapalhando o desempenho do menino. Você vai ouvindo ou lendo e acha que essa atitude mostra a preocupação da escola com o desempenho dos seus alunos. Até você descobrir que os cabelos da criança são crespos e cortados no estilo black power. Preocupação com o desempenho do garoto? Sei...

foto: arquivo pessoal / divulgação
Quando a mãe indignada vai até a escola por causa do bilhete da professora, a Diretora insiste em dizer que o cabelo é inadequado e está atrapalhando os colegas. E, para piorar, o garotinho virou motivo de chacota. Resumindo: o garoto sofreu uma tremenda discriminação explícita. E isso me fez pensar na quantidade de discriminação velada que a gente vê e recebe por aí. É tanta gente te olhando torto em determinados ambientes. Em um restaurante de um determinado shopping aqui em Belo Horizonte, por mais de uma vez, me perguntaram se eu trabalhava no shopping, mas a mesma pergunta não foi feita à moça loira de cabelos lisos que estava na minha frente. Não estou dizendo que é alguma ofensa trabalhar no shopping, mas a pessoa que me fez essa pergunta pode estar presa aos esteriótipos que a levam a pensar que cabelos crespos pertencem à classe trabalhadora mais humilde, do tipo "se ela tivesse grana, alisaria o cabelo". A gente vai deixando essas coisas passarem, mas chega um momento que cansa, né! Num país com tanta mistura, com tantos tons de pele e textura capilares é uma pena que isso continue acontecendo todos os dias em algum lugar do país. 

Posso contar que já aconteceu comigo uma situação bastante constrangedora na escola. Quando eu tinha 6 anos, na minha escola, eles estavam tirando fotos para colocar nos diplominhas do pré-escolar. Como eu tinha pulado de série, não tinha feito o pré, não tirei a foto com a maioria das outras crianças. Só que a Diretora quis que eu tivesse essa foto para recordação, então me chamou para "bater o retrato" também. Eu sempre ia para escola bem limpa e penteada, mas vocês conhecem criança, né! Corre no recreio e o penteado fica daquele jeito (tenho uma amiga que diz que sobem os girassóis). Pois bem, eu estava toda trabalhada nos girassóis quando fui tirar as fotos. O que fizeram? Ao invés de só ajeitar os fiapos soltos (era só passar a mão molhada) soltaram todo o meu cabelo, mas não pentearam direito e acabei tirando a foto com um cabelo que só Jesus! Quando cheguei da escola e minha mãe viu o que tinham feito, saiu igual um foguete, com "um quente e dois fervendo", como ela mesma diz, e foi na escola perguntar o motivo de terem feito aquilo com meu cabelo. A resposta foi: os cabelos dela são difíceis! A minha mãe ficou ainda mais possessa, perguntou se alguma vez eu tinha ido descabelada para escola e exigiu outra foto com o penteado que eu tinha vindo de casa. Acabei com dois diplominhas que uma série que nem fiz! 

O que essas histórias têm em comum? Pessoas usando os cabelos para esconder um preconceito maior. Já ouvi histórias ainda piores de cortarem os cabelos das crianças na escola sem autorização dos pais... e estranho, mas toda vez que tem foco de piolho na sala de aula sempre apontam para aqueles de cabelos crespos. É impressionante! Acho que já está mais que na hora das pessoas respeitarem umas às outras. Você pode até não gostar do estilo da pessoa nem do cabelo dela, porém, o respeito é primordial. 

Bom, e vocês, o que acharam dessa história toda?

Até breve e, talvez,  menos indignada,

Tati

2 comentários:

  1. Olá tudo bem? Eu adoro seu blog por isso te indiquei a uma tag, espero que goste. Beijos http://arquivodeletado.blogspot.com.br/2013/12/liebster-award-discover-rew-blogs.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daiane! Ando um pouco sumida aqui mas já visitei seu blog e vi como funciona a tag. Assim que possível a farei. Beijos!

      Excluir

Fale conosco