quarta-feira, 2 de outubro de 2013

“Deixei de ser lisa, agora sou Beyoncé” - Parte 1 “A decisão de assumir os cachos”

Olá, galerinha! Hoje, vou começar uma série de posts a respeito de um dos assuntos preferidos das brasileiras, os cabelos! É o primeiro capítulo da minha saga capilar e como estou na vibe de assumir os cachos de vez. Então, vamos começar novamente. Prazer sou Tatiana, sou brasileira, sou fruto de um mistura de raças e tenho os cabelos cacheados! E senta que lá vem a história!

Apresentações feitas, vamos ao que interessa. Por usar escova por muito tempo, eu não tinha a menor ideia de que tipo era meu cabelo, se era crespo, se era cacheado, se tudo era a mesma coisa. Até que, pesquisando por aí, encontrei um site muito legal, o naturallycurly.com. Lá, além de encontrar várias dicas, dá para saber qual o seu cabelo. (clique aqui para ver). Está em inglês, mas algumas coisas são bem autoexplicativas. Então, de acordo com o site, o meu cabelo seria um 3B. Hein? Boiou? Seria tipo assim:

Fonte: bossa-rosa.com
Para facilitar o entendimento, a divisão é: os cabelos de nº 2 são os ondulados, nº 3 os cacheados e nº 4 os crespos; as letras são as variações de cada tipo. Não sou assim a favor de nomenclaturas, principalmente porque o mesmo cabelo pode ter vários tipos de cachos, mas achei legal para a conhecermos nosso tipo de cabelo.

Continuando... como disse, fiz escova durante anos e não ousava botar o pé para fora de casa com os cabelos naturais. De tempos em tempos, eu até tentava, mas como eu não sabia cuidar direito, ele ficava estranho e eu me entregava á escova novamente. De 2011 pra cá, foi que comecei a tentar com mais afinco e hoje tenho longas fases de cabelo cacheado.

Na verdade, a grande motivação para eu dividir com o mundo minha novelinha capilar é que comecei a perceber o quanto há resistência aos cabelos cacheados e crespos por aí. Na TV, quase não se vê [rimou!]. Dias atras, fiquei vendo televisão por umas duas horas, prestando atenção em quantas cacheadas / crespas apareciam em comerciais e, pasmem, foram apenas duas propagandas sendo que uma era com a Vanessa da Mata [muito boa, por sinal]. E o pior é que algumas se referem a esse tipo de cabelo como se fosse feio, mal cuidado [Polishop, estou falando com você]. Realmente, não há como a amiga crespa se identificar e começa mesmo a achar que o cabelo é feio e não combina.

Eu também pensava assim, achava que meu cabelo ao natural não combinava comigo. Porém, o que ouço por aí é exatamente o contrário. As pessoas vêm até mim e dizem que meu cabelo é mais bonito assim e que combina mais com meu rosto. E eu achando que meu cabelo era ruim...
Falando em cabelo ruim... ah, esse é assunto para o próximo post.
Essa sou eu, em 2011, em uma das tentativas de assumir meu cachinhos.


Por hoje é só, pessoal. Volto semana que vem com mais um capítulo de "Deixei de ser lisa, agora sou Beyoncé".

Tati

P.S. Desculpem a formatação esquisita do post, mas deu um "biziu" aqui que não consegui consertar.

7 comentários:

  1. Olá! Realmente os cabelos cacheados e crespos apesar de serem maioria em nosso país são muito desvalorizados. Teve uma época em que alisei o meu tbm, mas sempre gostei de cachos, atualmente estou aprendendo a cuidar deles e já não uso mais química e te dou o maior apoio para falar de cuidados com os cabelos encaracolados. Valeu!

    http://indagacoesfemininas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelos elogios, meninas! Cleila, às vezes deixamos de usar por não saber cuidar dos cachos, mas vamos aprendendo, né.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, tudo bem?
    Entrei através do grupo Divulgue seu Blog no facebook para conhecer seu cantinho, parabéns está lindo e muito organizado, Já estou seguindo. Depois passa lá no meu para conhecer também e se puder siga de volta, muito obrigada, bjs
    http://encantosempontocruz-barbie.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Claudiana! Claro que farei uma visita.
      bjs

      Excluir

Fale conosco