sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Sofá e pipoca


Gael Garcia Bernal é Elvis, um jovem recém saído da marinha americana que vai em busca do reconhecimento do seu pai biológico. Elvis é um personagem um tanto enigmático. Durante todo o filme há muitos momentos onde o comportamento desse personagem varia entre a perturbação e a solidão.



Elvis vai a cidade de Corpus Christi interior do Texas. O nome da cidade assim como o nome do personagem são bastante sugestivos e importantes na compreensão do enredo. Nesta cidade vive o seu pai, David (nome também importante no enredo), um pastor evangélico radical e conservador. David é um personagem quase sufocante, que mantém toda a família e até mesmo toda a cidade sob uma rigorosa doutrina religiosa. Porém, David renega a Elvis alegando que agora tem uma família. Esta atitude me pareceu uma tentativa de renegar a um passado do qual ele se envergonha. Ao mesmo tempo essa mesma atitude vai contra os valores cristãos.



Elvis se apaixona por Malerie, sua irmã paterna de 16 anos. Porém, não sei exatamente se o que ele sente por ela é uma paixão ou se ela é para ele um objeto de vingança contra o pai. Malerie sem saber que Elvis é seu irmão começa a viver uma intensa paixão junto a ele. Essa paixão desencadeará uma série de fatos trágicos a essa família.



A cena final é para mim fantástica, a qual resume todo o ressentimento de Elvis. É um filme muito intenso, vale muito a pena ver.


Por Rose
Imagem: http://cine-clasico.com/foros/viewtopic.php?f=93&t=9391




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale conosco